Poema do Cume

No cume daquela serra
Plantei uma roseira
O mato no cume cresce
A rosa no cume cheira

Quando cai a chuva fria
Gotas no cume caem
Lagartos no cume entram
Abelhas do cume saem

Mas se cai chuva grossa
A água no cume desce
O orvalho no cume brilha
A floresta no cume cresce

Depois que a chuva cessa
Ao cume volta a alegria
Pois torna a brilhar de novo
O sol que no cume ardia